terça-feira, 12 de julho de 2011

Agricultura aprova seguro-desemprego para trabalhador temporário

A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural aprovou na quarta-feira (06.07) o Projeto de Lei nº 271/11, do Deputado Ricardo Izar (PV-SP), que inclui como beneficiários do seguro-desemprego trabalhadores rurais e urbanos com contrato temporário ou por prazo determinado.

Pela proposta, o número de parcelas do benefício a que o desempregado terá direito dependerá da quantidade de meses trabalhados. Receberá duas parcelas quem esteve empregado por 9 meses nos 12 anteriores ao fim do contrato. Terá direito a três parcelas quem tiver trabalhado por 12 meses nos 18 anteriores.

Já quem trabalhou 15 meses nos 24 anteriores ao fim do contrato terá direito a receber quatro parcelas. O período trabalhado não precisa ser contínuo.

O relator, Deputado Lira Maia (DEM-PA), recomendou a aprovação da proposta. Ele argumentou que, apesar de a Constituição estender aos trabalhadores da agricultura vários direitos antes exclusivos dos contratos urbanos, como o seguro-desemprego, a cobertura do benefício no campo é pequena.

Segundo Maia, os requisitos para a concessão do benefício não levam em conta trabalhos sujeitos a ciclos, como preparação de solo, plantio e colheita. “A legislação que trata do assunto objetiva prestar auxílio financeiro em situações típicas do desemprego urbano, o que torna inviável a habilitação dos trabalhadores rurais”, afirmou.

Tramitação
O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado ainda pelas Comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; de Finanças e Tributação; e de Constituição, Justiça e Cidadania.

Fonte: Agência Câmara

Nenhum comentário:

Postar um comentário