sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Poesia para relaxar

O QUE SOU.


Sou um ser, um Espírito
Individualizado
Gerado por de Deus
Por ele criado
Em tempos infindos
Não manifestado.

Dele sendo parte
Venho habitar
Todo o universo
Que veio criar
Dimensões diversas
Galáxia, lugar.

Se dele surgi
Venho me igualar
A pedra que dorme
No fundo do mar
Ou mesmo aquela
Em alto lugar.

Também como a árvore
Nascida do chão
Tem de Deus sua parte
É clara a questão
Ele estando em tudo
Todos nele estão.

O princípio Divino
É universal
Deus está na água
Na terra no sal
Na árvore que cresce
No reino animal.

Em assim sendo parte
De quem me criou
Integro-me a ele
Também nele estou
Por isso confirmo
Eu sou o que sou
DE ONDE VIM?

De Deus me originei
No inicio da criação
Primeiramente, espírito
Só luz, manifestação
Mas tinha de caminhar
Buscar a evolução.

Para que tal ocorresse
Deveria transmutar
Tomar então um veículo
De forma a me adaptar
Numa outra dimensão
Onde iria habitar.

O veículo escolhido
Pode então originar
De dois gametas distintos
Vem a ciência provar
Que transformando em células
Veio a se multiplicar.

Naquele corpo fecundo
Foi onde então penetrei
Minha primeira morada
É tudo que agora sei
E por um cordão materno
Muito tempo alimentei.

Vivi como um anfíbio
No útero onde fui gerado
Em um liquido aminiótico
Vivi então mergulhado
Como um casulo que morre
Para outrem ser resgatado.

Passando-se então o tempo
Vim ao mundo então chegar
Quando nele então nasci
Tive contato com o ar
A única coisa que fiz
No momento foi chorar.

Desta feita varias escalas
Pela evolução passei
Cresci me tornei maduro
Em gente me transfomei
O que me preocupa agora,
É o futuro.O que serei?


PARA ONDE VOU?

O futuro é uma incógnita
Tentarei ele explicar
Dentro então de minha mente
Devo agora penetrar
Para o desconhecido
Vir nestes versos aclarar.

Para falar do futuro
Devo o passado lembrar
Eis que são formas opostas
Dos fatos analisar
Será que só o presente
Vem no caso vigorar?

Se sou uno, sou eterno
E sou também imortal
Apenas o corpo físico
Vem no caos ter seu final
Eis que sujeito está
Ao mundo material.

Todavia, o eterno
Não vem se submeter
A regra então transitória
Como estou a dizer
Cada mundo é um mundo
É fácil compreender

O eu “persona”, o “ego”
É um ser divinizado
Sendo assim não submete
A mudanças de estado.
Para ele não existe
Futuro e nem passado.

Só o presente vigora
Claro em sua dimensão
Daí volto a afirmar
Como fiz de antemão
Eu sou aquilo que sou
Jamais compreender-me-ão.

Eu sou o que sou aquilo que sou, foi a resposta de Jesus a Simão.

DIMAS TERRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário