sexta-feira, 2 de março de 2012

Vítima de boatos sobre traição não será indenizada

A 10ª câmara Cível do TJ/RS negou indenização a uma mulher que moveu ação contra as primas, acusando-as de espalharem boatos de que ela estava tendo um caso extraconjugal com o patrão.


A autora alegou ter sido ofendida em sua honra, sendo humilhada perante a pequena comunidade em que vive, onde a maioria das pessoas se conhece.


O desembargador Ivan Balson Araujo, relator, destacou depoimentos do marido, que afirmou ter prestado total apoio à esposa e nunca ter pensado em se separar. Já a patroa da mulher confirmou a ocorrência de comentários na cidade, contudo disse confiar na funcionária e também no marido, caracterizando a história como fofoca. Perguntada sobre a origem do boato, ela ressaltou que soube pela própria apelante.

Assim, o relator concluiu que nenhuma prova foi produzida no sentido de apontar as rés como responsáveis pela divulgação do boato. Enfatizou ainda que, mesmo havendo a comprovação, não foi demonstrada a ocorrência de dano moral, já que a divulgação da história não acarretou maiores consequências para o casamento dos autores, tampouco para a relação profissional da autora.

•Processo relacionado: 70045073848

Migalhas

Nenhum comentário:

Postar um comentário