sexta-feira, 27 de abril de 2012

Júri desclassifica crime e passa competência para Juizado Especial Criminal

 

Foi a júri na última quinta-feira (26) Daniel Batista de Morais, acusado de tentativa de homícidio contra Amarildo Bonifácio. O caso foi julgado pelo Conselho de Sentença do 1º Tribunal do Júri, presidido pelo juiz Jesseir Coelho de Alcântara. Os jurados reconheceram que as lesões corporais foram feitas por Daniel mas entenderam que o acusado não praticou a tentativa de homícidio, por isso, o caso foi enviado para o Juizado Especial Criminal, órgão que tem competência para receber os delitos menos ofensivos.
O caso - Segundo os autos, Daniel e Amarildo costumavam tomar bebida alcoólica juntos. No dia 9 de dezembro de 2009, ambos estavam embriagados após terem ingerido cerveja e pinga durante todo o dia. Eles foram até um bar, onde eram conhecidos, no intuito de consumir mais bebida. A proprietária do estabelecimento, ao perceber o nível de embriagez dos dois e que Daniel estava com uma faca, se recusou a servi-los e pediu para que saíssem do local.
Os dois saíram do bar e foram para a casa de Amarildo. Ao chegarem em frente à sua residência, o acusado e ele conversavam quando, sem motivo aparente, Daniel desferiu vários golpes de faca contra a vítima. Os cortes lesionaram a mão, cabeça e tórax de Amarildo. Daniel só cessou as agressões porque a lâmina da faca quebrou. A vítima sobreviveu devido ao pronto atendimento médico que recebeu. (Texto: Mayara Oliveira/ estagiária do Centro de Comunicação Social do TJGO)

Nenhum comentário:

Postar um comentário