sexta-feira, 28 de setembro de 2012

HGG será auditado pelo TCE-GO


 
O conselheiro Sebastião Tejota, relator dos processos da área de saúde no Tribunal de Contas do Estado, realizou hoje (28/set) inspeção no Hospital Alberto Rassi, antigo Hospital Geral de Goiânia (HGG). A visita técnica serviu como preparação para a auditoria operacional que vai avaliar os resultados da gestão da organização social Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Humano (Idtech). Participaram da visita, além do relator, técnicos do Tribunal, que tomarão parte na auditoria de acompanhamento.
A inspeção de hoje vai balizar os trabalhos a serem realizados pela auditoria, que devem abranger inspeções físicas, documentais, entrevistas com servidores, pacientes e outras técnicas de auditoria operacional, com base na Resolução TCE n° 007/2011, que dispõe sobre a fiscalização das Organizações Sociais nos contratos de gestão com o Estado.
“A realidade encontrada já demonstra um avanço significativo se comparada com outros relatórios produzidos pelo TCE na unidade, que evidenciavam um verdadeiro caos na situação do hospital”, afirmou o conselheiro Sebastião Tejota ao final da visita.
Segundo Cláudio Márcio Rocha, supervisor da equipe de fiscalização do TCE, a auditoria operacional vai avaliar os resultados, o atendimento de metas, o desempenho e o serviço prestado ao usuário. Caso seja constatada alguma irregularidade na aplicação dos recursos estaduais na gestão do hospital, ela será informada no relatório e, ao final, o Tribunal pode apresentar algumas recomendações no sentido de contribuir para melhorar o desempenho.
Além do conselheiro Sebastião Tejota e do supervisor Cláudio Márcio, a visita técnica teve a participação dos servidores Pablo Leite, Cristina Lopes, Gilvan Pires, Inocêncio Leite e Edmilson Almeida Franco, além do médico Paulo César Araújo.
Eles foram recebidos pelos coordenadores do Idtech e diretoria do Hospital, que parabenizaram o órgão fiscalizador pela resolução que deu parâmetros para a fiscalização do novo modelo de gestão. Demonstraram, por meio de filmes e fotografias, a situação encontrada pela Idtech, com problemas de toda ordem, e os projetos de melhoria, acrescentando que em apenas seis meses de gestão, a realidade já outra.
Aproveitaram, ainda, para criticar a burocracia administrativa, “que muitas vezes leva o administrador a se apegar sobremaneira nas questões formais, deixando de lado o objeto finalístico”.
Essa é a segunda auditoria do TCE em organizações sociais que passaram a gerir os hospitais públicos do Estado. No Hospital de Urgências de Anápolis (Hana), os técnicos do Tribunal também constataram uma melhora significativa na gestão e o relatório de auditoria já está em fase de elaboração. A próxima unidade a ser fiscalizada deve ser o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo).


Nenhum comentário:

Postar um comentário